Quem sou eu

Minha foto
Caculé, Bahia, Brazil
Quem sou eu? Eu sou um tantim! Um tantim de amor, alegria, de sonhos, desejos e metas... eu sou vida, sou vento, sou vitória, sou Vilma!

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Indignação...

O Deputado Rodrigo Maia (RJ), que é mais um típico político que nós baianos e brasileiros já estamos cansados de ver por aí devia se envergonhar ao dar a entrevista que deu a UOL e repensar as suas palavras, porque o que conta de verdade é a opinião pública. Preciso dizer mais alguma coisa?

Nesse link acima você pode ler a reportagem na íntegra e entender a minha indignação com esse que se diz representante do povo carioca que tanto necessita de uma ajuda real e honesta, pois todo mundo sabe dos problemas sociais vividos pelos cariocas...

Vá trabalhar e fazer jus ao salário que nós brasileiros lhe pagamos Rodrigo Maia.

Candidato nenhum deve pensar no que é melhor pra si, e sim no que é melhor para o povo.

Afinal, somos nós o povo que pagamos o seu salário, então respeite a nossa dignidade. Nós brasileiros merecemos!

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Dificuldade na Aprendizagem da Matemática

.... Saber aprender é a condição básica para prosseguir
aperfeiçoando-se ao longo da vida. (PCNEM, 1999).
Nos últimos anos, vem-se constatando a necessidade de mudanças no ensino da matemática, tendo em vista às reprovações que acontecem nas escolas, a forma como esta disciplina vem sendo transmitida como se fosse algo acabado e tantos outros fatores, que fizeram com que se repensasse este ensino em favor de uma visão mais progressista: a de Educação Matemática.
Dentro dessa visão, a matemática é considerada uma ciência em constante construção, que se desenvolve enquanto é experimentada, no processo de investigação e resolução de problemas, deixando de lado a possibilidade de ser vista de forma estática, abrindo portas para a criação e para a emoção.
Na medida em que um aluno esteja empenhado em percorrer o caminho do conhecimento matemático, de forma intensa e prazerosa, é preciso que ele próprio reconheça que estudar matemática pode ser, além de necessário, uma atividade agradável e desafiadora, pois para a grande maioria desses alunos que estão na escola, a matemática ainda é motivo de grandes inquietudes, medos e tantas outras manifestações de desgosto ou desilusão.
Por isso, é de máxima importância que haja compromisso e interação entre o emocional, o social e o cultural para que os alunos aprendam realmente matemática.
No momento em que se diagnosticar a causa da deficiência do ensino-aprendizagem em matemática, a escola, como um todo, chegará mais perto dos avanços tecnológicos e científicos que estão anos-luz à frente da atual situação.
O filósofo grego Platão que viveu no século IV a.C. disse: “os números governam o mundo”. E a solidez desse governo depende de todos, pois se o professor tem o papel de fundamental importância como organizador, consultor e mediador no processo de construção de conhecimento, ele é só uma peça do quebra-cabeça. A estrutura do quadro escolar é composta a partir do ministério por secretarias estaduais e municipais, diretores, coordenadores pedagógicos, professores articuladores e professores. Enfim, infinitas peças que se deixaram desgastar ao longo do tempo através do favoritismo político que só dificultam o encaixe da cada uma delas.
O terceiro capítulo do livro A Nova LDB: Ranços e avanços o autor fala da não conversão do capitalismo, que “apenas passou da mais - valia absoluta para a relativa’.(Demo,1997) o que nos remete ao Egito antigo a origem da profissão docente, em que a missão do professor era realizada por prisioneiros com o objetivo de se livrarem da morte (Romanowske, 2003).
Hoje esse quadro não mudou muito. De um lado estão crescendo os avanços tecnológicos e do outro impera a desordenada divisão de bens e poder favoritista. À sombra desse favoritismo, um sistema educacional doente de tanto preconceito com medo de andar sobre as próprias pernas, e a exclusão social que violenta a dignidade do individuo quando ele não passa pelas barreiras discriminatórias ditadas por uma sociedade dominante até mesmo no próprio sistema escolar.

quarta-feira, 13 de maio de 2009

Crônica do Amor

Não conheço o autor dessa crônica, ganhei de um amigo e resolvi compartilhar !!

"Ninguém ama outra pessoa pelas qualidades que ela tem, caso contrário os honestos, simpáticos e não fumantes teriam uma fila de pretendentes batendo a porta.
O amor não é chegado a fazer contas, não obedece à razão. O verdadeiro amor acontece por empatia, por magnetismo, por conjunção estelar.
Ninguém ama outra pessoa porque ela é educada, veste-se bem e é fã do Caetano. Isso são só referenciais.
Ama-se pelo cheiro, pelo mistério, pela paz que o outro lhe dá, ou pelo tormento que provoca.
Ama-se pelo tom de voz, pela maneira que os olhos piscam, pela fragilidade que se revela quando menos se espera.
Você ama aquela petulante. Você escreveu dúzias de cartas que ela não respondeu, você deu flores que ela deixou a seco.
Você gosta de rock e ela de chorinho, você gosta de praia e ela tem alergia a sol, você abomina Natal e ela detesta o Ano Novo, nem no ódio vocês combinam. Então?
Então, que ela tem um jeito de sorrir que o deixa imobilizado, o beijo dela é mais viciante do que LSD, você adora brigar com ela e ela adora implicar com você. Isso tem nome.
Você ama aquele cafajeste. Ele diz que vai e não liga, ele veste o primeiro trapo que encontra no armário. Ele não emplaca uma semana nos empregos, está sempre duro, e é meio galinha. Ele não tem a menor vocação para príncipe encantado e ainda assim você não consegue despachá-lo.
Quando a mão dele toca na sua nuca, você derrete feito manteiga. Ele toca gaita na boca, adora animais e escreve poemas. Por que você ama este cara?
Não pergunte pra mim; você é inteligente. Lê livros, revistas, jornais. Gosta dos filmes dos irmãos Coen e do Robert Altman, mas sabe que uma boa comédia romântica também tem seu valor.
É bonita. Seu cabelo nasceu para ser sacudido num comercial de xampu e seu corpo tem todas as curvas no lugar. Independente, emprego fixo, bom saldo no banco. Gosta de viajar, de música, tem loucura por computador e seu fettucine ao pesto é imbatível.
Você tem bom humor, não pega no pé de ninguém e adora sexo. Com um currículo desse, criatura, por que está sem um amor?
Ah, o amor, essa raposa. Quem dera o amor não fosse um sentimento, mas uma equação matemática: eu linda + você inteligente = dois apaixonados.
Não funciona assim.
Amar não requer conhecimento prévio nem consulta ao SPC. Ama-se justamente pelo que o Amor tem de indefinível.
Honestos existem aos milhares, generosos têm às pencas, bons motoristas e bons pais de família, tá assim, ó!
Mas ninguém consegue ser do jeito que o amor da sua vida é! Pense nisso. Pedir é a maneira mais eficaz de merecer. É a contingência maior de quem precisa."

domingo, 10 de maio de 2009

Curiosidades...

Origem do risquinho no 7
Até os dias de hoje, muita gente, quando escreve o numero 7, ainda coloca um pequeno traçinho no número.
Oficialmente, este pequeno traço não existe, como dá para constatar, digitando a tecla 7 do teclado do seu computador, calculadora ou qualquer outro aparelho que possua teclado.
Vocês sabem a origem deste costume?
Para responder, temos que voltar muitos séculos atrás, aos tempos bíblicos, quando Moisés estava no Monte Sinai e lhe foram ditados os 10 mandamentos.
Em voz alta, ele foi anunciando os mandamentos à multidão, um por um.
Quando chegou ao mandamento sete, Moisés disse: “Não desejarás a mulher do próximo!”
Um breve silêncio...
E a multidão rompeu, gritando em coro: Risca o sete, risca o sete.

domingo, 26 de abril de 2009

Informações "úteis"

Hoje vamos ver algumas GAFES que as pessoas disseram no Tribunal..
P-Poderia descrever o suspeito?.
R-Ele tinha estatura mediana e usava barba.
P-E era um homem ou uma mulher?
R-...?
P-Doutor, o Sr se lembra do dia em que começou a examinar ocorpo da vítima?.
R-Sim a autópsia começou às 20:30 horas.
P-E o Sr Décio já estava morto a essa hora?
R-Não. Ele estava sentado na maca, se perguntando porque euestava fazendo aquela autópsia nele.
P-Essa doença, a miastenia gravis, afeta a sua memória?.
R-Sim.
P-E de que modo ela afeta a sua memória?
R-Eu esqueço as coisas.
P-Você pode nos dar um exemplo de algo que você tenha esquecido?.
P-Que idade tem seu filho?
R-38 ou 35, não me lembro.
P-Há quanto tempo ele mora com você?
R-Há 45 anos.

"Rir é remédio"

Hoje acordei muito cedo para um dia de domingo e fui fazer o meu passeio matinal pela net. Me encontrei com Bruno Romaneli com um causo legal que recomendo. Reuna a sua família para o café da manhã e escute esse causo intitulado Abre a Porta, Muié! Acabei de chagar e já estou aqui contando para vocês, pois dá para pincelar o dia com umas boas risadas.

domingo, 17 de agosto de 2008

Persistência

Tinha algo. Quis oferecer.
Receberam em vão.
Persisti. Me testaram pra ver a reação.
Persuadi. Quase por fim consegui.
Mostrei o interior. Foram risos e mais testes
Particularmente fui aprovada.
Calei. Não devo, eu sei.
Tenho algo, persisto, ofereço...
Sem ilusão.
Persistência, otimismo, coragem fazem-me mais forte.
Eu tenho. Eu quero.
Por isso persisto.
Mostrando a beleza da minha teimosia.